Escoteiros querem bater recorde no Dia de Fazer a Diferença  


A União dos Escoteiros do Brasil (UEB) aproveita o Dia de Fazer a Diferença, no próximo dia 1º, para tentar entrar no “Guiness Book” (livro dos recordes) promovendo o plantio de mais de 10 mil mudas de árvores em menos de uma hora. O recorde atual é de 3.500 mudas em uma hora.


O Dia de Fazer a Diferença promove ações sociais em todo o mundo. No Brasil, engajam-se empresas, ONGs, escolas e comunidades. As inscrições (até 30/11) de projetos novos ou para participar de projetos já existentes podem ser feitas pelo site www.fazendodiferenca.com.br


A ação dos escoteiros, que têm entre 7 e 21 anos, acontecerá em uma área de proteção ambiental, em Campinas (SP), que necessita de reflorestamento. Serão plantadas árvores nativas da região. A UEB conta com o apoio do Jeep Clube de Campinas, da prefeitura da cidade e de empresas e ONGs locais.


“Resolvemos fazer essa ação maior em Campinas, que terá mais repercussão, com o objetivo de mostrar para as pessoas que dá para fazer a diferença quando cada um faz um pouco”, diz Rodrigo Biasi, executivo nacional de marketing da UEB. “Cada pessoa vai plantar cerca de 10 mudas.”


Serão cerca de 1.300 voluntários, entre 700 escoteiros, 300 jipeiros (do Jeep Club) e voluntários de empresas, como o Correios, e de entidades sem fins lucrativos. A empreitada está aberta para a participação de mais voluntários. “Talvez consigamos chegar a 16 mil mudas”, diz Biasi.


“A preservação ambiental faz parte dos ensinamentos dos escoteiros”, diz Clovis Bonadio, presidente do grupo de escoteiros Anhanguera. “É importante que a sociedade acorde para esse tema. Não adianta só falar e não fazer nada.”


O local da ação é o Recanto dos Dourados, próximo ao hotel Solar das Andorinhas, à margem do rio Atibaia. “Tem de pegar a rodovia Campinas-Mogi Mirim e, depois do posto rodoviário, entrar na primeira estrada à direita e seguir até o final”, explica Bonadio.


Outras ações


Os escoteiros de outros Estados do país também promoverão ações sociais. No Rio Grande do Sul, por exemplo, realizarão trabalhos com deficientes físicos. Em Sergipe, os jovens farão a limpeza de manguezais poluídos.


São cerca de 70 mil escoteiros em todo o Brasil. “Na verdade, são 70 mil famílias”, diz Biasi, “pois os pais são sócios, e os filhos usufruem.”

​​​​​​​

Ele conta que os escoteiros participam do Dia de Fazer a Diferença desde o primeiro ano. “Mas as ações sempre ficavam por conta de cada grupo. Este ano houve uma motivação da instituição.”

​​​​​​​

Biasi ressalta que os escoteiros realizam ações comunitárias e ecológicas não apenas no Dia de Fazer a Diferença. “É um trabalho contínuo, que, às vezes, não é percebido pela sociedade. São cerca de 4.500 ações todos os anos”, diz.


www1.folha.uol.com.br/folha/equilibrio/noticias/ult263u1934.shtml