Dia de Fazer a Diferença quer reunir 500 mil voluntários; participe  

​​​​​​​

​​​​​​​Voluntários de todo o Brasil vão colocar a mão na massa neste domingo, dia 1º, com um único objetivo: melhorar e tornar mais feliz a vida das pessoas necessitadas. Trata-se da quarta edição do “Dia de Fazer a Diferença”, em que são realizadas ações sociais em todo o país.


Segundo Roberto Murakami, diretor-executivo da Sife-Brasil, ONG que organiza o evento juntamente com a Folha de S. Paulo, são esperados 500 mil voluntários em todo o país. No ano passado, participaram 300 mil pessoas.


Participam empresas, ONGs, escolas e comunidades que desenvolveram projetos ou se engajaram em projetos já existentes. As inscrições foram feitas pelo site www.fazendodiferenca.com.br, que traz a lista de todas as ações.


Os projetos incluem visitas e doações a instituições que atendem crianças carentes, idosos, portadores de HIV e câncer, entre outras, além de ações ambientais.


Entre elas, está a tentativa dos escoteiros brasileiros de entrar para o “Guiness Book” (livro dos recordes) plantando 10 mil mudas de árvores em menos de uma hora. O recorde atual é de 3.500 mudas em uma hora. A ação acontece em uma área que necessita de reflorestamento em Campinas (SP).


Data surgiu nos EUA


O Dia de Fazer a Diferença foi criado há 12 anos nos EUA pela jornalista Marcia Bullard.


“Ela tinha um grupo que fazia ações pontuais e sentiu a necessidade de mobilizar as pessoas em um único dia”, explica Roberto.


Como editora da revista “USA Weekend”, encartada em vários jornais norte-americanos, ela utilizou o veículo para atingir os voluntários.


Só este ano, foram mobilizadas 3 milhões de pessoas nos EUA. “O presidente George W. Bush fez um comunicado oficial incentivando a participação das pessoas”, diz Roberto.


Lá a data aconteceu no tradicional quarto fim de semana de outubro. Aqui no Brasil o dia teve de ser mudado por conta das eleições.




www1.folha.uol.com.br/folha/equilibrio/noticias/ult263u1941.shtml